quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Supercalifragilisticexpialidocious!


"A Spoonful of sugar helps the medicine go down
The medicine go down-wown
The medicine go down
Just a spoonful of sugar helps the medicine go down
In a most delightful way" (Spoonful of Sua - Mary Poppins)
Aonde estão as pegadas que eu deixei
O vento parece ter levado tudo
Inclusive aquelas velhas frases, aquelas constantes, as melhores
O tempo faz isso com nossas lembranças... depois de certo momento tornam-se memórias vagas.
Eu me vejo viajando dentro de um quadro do kandisky, teria um 'que' de Mary Poppins moderno, abstrato e surreal.
Não veria problema se colocassem uma música de fundo
Normalmente intensificam as emoções e as atitudes...
Porém ultimamente estou em dúvida se atitudes intensificadas são compensatórias.
Tô aprendendo que não.
O problema é que demoro muito pra aprender

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Jet Plane

Este conto foi escrito no final de 2007...




“Pensei que estivesse tudo acabado, que seria mais fácil te dizer adeus e nunca mais olhar aqueles olhos que, no primeiro dia, insistiram em encontrar os meus. Hoje penso que seria melhor se não tivéssemos passado disso, que se ficássemos apenas nos olhares, seria tudo mais fácil. Mas quem quer facilidade afinal?

Nossa história de amor unilateral, iniciou com o primeiro beijo, me lembro ainda que música estava tocando. O meu problema não foi perceber desde o inicio que eu iria me magoar, mas sim o fato de nunca saber como te tratar, isso sim era um problema. Você é a pessoa mais imprevisível que eu conheci. Definitivamente sua melhor qualidade e seu pior defeito, ao mesmo tempo em que me pegava de surpresa com uma mensagem linda, também me irritava ao simplesmente levantar e ir embora. Você desperta certas reações em mim que nunca tinha experimentado antes. E isso não é um elogio!

De você aceitei situações que nunca permiti a ninguém. Conhecemos-nos há tão pouco tempo e já brigamos tanto... Como ainda posso gostar de você?”

Isabel escreveu esta carta a Ricardo e a jogou por debaixo da porta de seu apartamento. Ele ainda não tinha voltado do trabalho. Ela estava de partida para Inglaterra, num vôo que saia as 19:03.

“Isabel, temos discutido tanto nos últimos dias que não tive nem oportunidade de pergunta como você esta? Como você já disse milhões de vezes eu também gostaria que as coisas fossem mais fáceis. Minha vida esta muito complicada nesse momento. Em tão pouco tempo já passamos por tanto coisas, já gritamos, já rimos e até choramos. Eu não posso dizer que se voltasse o tempo, que agiria diferentes. Mas eu estou disposto a mudar algumas coisas a partir de agora, e queria começar sendo o mais direto possível e perguntando se você voltaria comigo? Sei que amanhã você estará indo para Inglaterra, e pode pensar que é egoísmo estar lhe enviando isto hoje. Mas nunca tive tanto medo de perder alguém. Como te disse em uma de nossas brigas eu realmente te amo.

Ricardo”

Ao enviar este e-mail as 18:30, Ricardo viu na tela do computador “E-mail enviado com sucesso – Segunda- feira, 23 de dezembro de 2007”. Quando viu o número 23 , foi como se todo o monitor tivesse apagado e o 23 piscasse em verde-cana. De um salto ficou em pé com as mãos na cabeça sem conseguir pensar direito, e dizia:

- Não, hoje não pode ser 23 , hoje é dia 22, 22 terça-feira. Não pode ser 23, por favor não!

Então olhou para o relógio, era dia 23 e pior já eram 18:36.

- Meu Deus, a Isabel viaja daqui a pouco.

Saia às pressas, entrou em um táxi e pediu que ele voasse para o aeroporto. Era muito longe e Ricardo sabia que não daria tempo, mas tinha que tentar.

Chegou ao aeroporto as 19:04h, foi direto ao guichê da Pact e perguntou em que portão saia o vôo para a Inglaterra.

- No portão B, senhor.

- Obrigado

- Mas já esta para levantar vôo.

Gritou por fim a atendente já sem esperanças que ele escutasse.

O coração de Ricardo batia tão rápido que ele não sabia se era porque corria desesperadamente ou se era medo de perdê-la. Quando chegou ao portão B ele estava fechado, ainda escutou o auto falante:

- Vôo 534 da Pact com destino a Londres, Inglaterra acaba de encerrar o embarque.

Ainda conseguiu ver pelo vidro Isabel, estava linda com aquela saia indiana.

No caminho para casa, tentou se animar pensando que ela ficaria fora “apenas” um ano e dependendo de como ela respondesse ao e-mail eles ainda poderiam ficar juntos. O que o deixava inseguro era não saber se ela ainda gostava dele.

Chegou em casa por volta das 20:30, a primeira coisa que viu ao entrar foi a carta. Ao terminar de ler, chorou.

- Então ela ainda me ama...!

Conseguiu esboçar um sorriso, se recostou no sofá e ligou a TV.

- vôo 534 da Pact, com destino a Londres, explodiu 40 minutos após a decolagem, não restaram sobreviventes, a empresa afirma que...

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Janis


"Oh sit there, oh count those raindrops"

É tão estranho quando estamos tentando esquecer algo
Porque, simplesmente, as coisas pulam aos nossos olhos.
Tudo o que tentamos ocultar são jogadas em nossa cara.
Quando se abre um livro a primeira imagem, de centenas que tem dentro dele, a surgir é aquela que te lembra o motivo do seu esquecimento.
Diria que é quase impossível esquecer algo quando realmente queremos, é melhor deixar fluir
Deixar as ondas virem e irem... no seu tempo. Sem esforço. Porque esse esforço é pior que lembrar.
Eu já tentei dar o grito mais alto que os meus pulmões aguentaram e nada!
Nada mudou...
Já tentei chorar, e chorei muito... e isso também não adiantou nada!
Nada mudou...
Ai eu tentei conversar... e essa não foi uma boa idéia. Nunca é. Não para mim.
As paredes, elas são bem melhores!
Sem querer desmerecer ninguém.
Só que quanto mais eu converso mais me sinto culpada, e isso não me ajuda!
Nada mudou...
Nenhum evento em específico mudará as coisas.
Se bem que se o super man desse um peteleco no mundo e ele girasse um tantinho mais rápido as coisas seriam mais fáceis.
Mas quem gosta de facilidades, não é verdade?
Eu penso em algo pra fazer mas nada me vem a cabeça.
Eu tento escrever... porcarias!
Desenhar? Nem pensar... cansei de tentar.
Então... eu escuto a Janis... e ela me faz sentir melhor!
Porque ela grita mais do que eu.
Viva Janis!


quinta-feira, 16 de outubro de 2008

"It´s Getting Better"



Não vou repetir todo o meu texto e entusiasmo por esta banda... primeiro porque se tornaria repetitivo, e segundo que eu não conseguiria me expressar bem já que minha inspiration esta um lixo ultimamente. Fico feliz por ter uma banda que cante a minha vida. The Mamas and The Papas e os Beatles definitivamente fazendo parte do soundtrack do meu filme. Concordo que algo dirigido por Tarantino e Kubrick (já que é pra sonhar, vamos sonhar alto) com uma trilha sonora dessas é de estranhar, mas levando em consideração a música inicial de Dr. Strangelove or How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb, tudo é possível!hehe

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Chicas - Ter que Esperar




Como minhas inspiração continua em alguma parte do meu cérebro que eu ainda não sei qual é, vou postar outro vídeo... O grupo é as Chicas a música é Ter que Esperar... E o resto é o mesmo.rs

sábado, 11 de outubro de 2008

Vezenquandário - Lizzie P.

Vou começar uma seção de posts alheios!rs

Este primeiro é da Lizzie Pohlmann, é um dos blogs que mais gosto e que mais visito. Seus textos são maravilhosos... entre tantas que eu adoro escolhi este: Vezenquandário.



Meu grito é inaudível, por certo. Continuo a correr sôfrega, contra a maré imensa e alta dos desencantos. Vejo passar a fúria e o silêncio… Eu tenho a obrigação de ser colorida. A vida, cinza. É, eu sei, de quando em quando invertemos os papéis e a vida fica tão azul e aqui dentro tão amargo. Não me agrada este devezenquandário de acasos, me dóem as repetições mas eu sei - é, eu sei que lá no fundo os sentimentos não mudam, nós é que mudamos. Eu sou mulher, viva. E por dentro sou mais viva ainda, porque a vida pulsa desenfreadamente em mim. Quero, sim, tirar dela até a última gota mesmo desencantada. Eu esqueço o tic-tac dos relógios e das incansáveis brigas com o tempo. Disseram-me uma vez que o tempo é interno, mas o tempo aqui -dentro de mim- é tão vago que quase inexiste. Queria dizer p’ra mim mesma que tudo passa, tudo passa… Um mantra p’ra esquecer as angústias e dormir em paz. Em pensar que tudo tende a ser subtração…Que cada barulho do pêndulo do relógio é um instante a menos de vida irrecuperável. Viver é irreversível.
—————————————————–
-Sabe, menina… Na tua ausência eu sinto falta do teu riso aberto.

-Sente?

-Sinto.

-Claro, pessoas sentem - nós sentimos, é óbvio.

Mas você me sente além do riso?

-Sentir, você?

-Você!

-Eu quase não rio…

-Não, a mim! Sentir a mim!

-Você se sente além do riso?

-Não, você!

-Ah, você me sente?

-Tá, eu sinto… Mas e você? Você me sente além do riso?

-Sinto…

[Silêncio]-…

-Às vezes sinto falta de mim.

-Eu também, menina.

-Sente falta de si?

-Não, de você. E dói.

[Silêncio]

-Me abraça?

-Sempre.


E ela ri aberto. Não é de alegria, é certo. Mas ri.



Lizzie Pohlmann

lizziepohlmann.com

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Dana Fuchs




Ela interpreta a Sadie (uma referência a Janis Joplin) no filme Across The Universe... Nem preciso fazer muitos comentários sobre essa mulher, assistam o vídeo e tirem suas próprias conclusões!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Dicas Musicais II - O retorno... =)

Menina da Lua

Linda Música

Linda Mulher

Linda Situação...

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Dicas musicais


"Um peixinho perdido num vaso de flor..." (Badi Assad)
Quem não conhece as músicas da Badi aqui vai um conselho: ESCUTEM! rs

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

One!!!!


Eu estava pensando que vídeo postaria hoje. E quase "enlouqueci" porque várias músicas me lembram você, várias frases te trazem para perto de mim!
Depois de muito pensar, cheguei a conclusão de que deveria optar, pelo simples...

Porque, muitas vezes, a simplicidade demonstra muito mais nossos sentimentos do que atos extravagantes! Então escolhi a música/vídeo em que "tudo começou" hehe.
E também porque considero a mais sutil. E sutileza, definitivamente, combina com a gente.

\o/ Viva!

MN!!!!!!


Beijos

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Parabéns!

" When the dog bites, when the bee stings
When I'm feeling sad, I simply remember
my favourite things!
and then I don't feel so bad!"
(My Favourite Thing - Julie Andrews)

Se me perguntarem o que eu comi ontem, provavelmente não saberei responder. Não diria que minha memória é seletiva, diria que apenas registra os momentos mais importantes e, sinceramente, fico feliz que ela seja assim. Eu tenho certas lembranças de quando era criança que até me assusto por quão detalhistas elas me parecem. Chego a pensar que algumas coisas podem ter sido inventadas por meu cérebro, mas aí fecho os olhos, respiro fundo e percebo que se levantar a mão poderia sentir (tato) tudo novamente! E então não me restam dúvidas de que aquilo realmente aconteceu.

Lembro como eu ficava feliz quando acabávamos de almoçar e ele pegava uma pastilha garoto ou um batom para nos (a mim e a meu irmão) dar de sobremesa. Juro, eu não lembro de uma única vez em que ele não tenha feito isso.

Lembro a forma como toda tarde ele jogava "paciência" na mesa do quarto dele. Depois que ele morreu, todas as noites antes de ir dormir eu jogava pelo menos umas duas partidas desse jogo, no computador nunca gostei, mas com o baralho mesmo tornou-se um vício, por um bom tempo. Não sei dizer com sinceridade se eu gostava mesmo do jogo ou se era porque me lembrava dele. Conhecendo-me, ficaria com a segunda opção.

Não lembro, mas todos contam que ele me dava café na colherinha quando eu era bem novinha, e que eu adorava (será que isso explica meu vício por café? rs).

Lembro que todo dia no café da manhã ele fazia meu café com leite e colocava aveia.

Se me esforçar bastante, consigo ainda lembrar o cheiro da loção de barba que ele usava, consigo lembrar a blusa que mais gostava e o beijo na testa que me dava. Consigo senti-lo.

Lembro que todo final de semana ele sentava na varanda com uma bebida (wisky com gelo, se não me engano) e com torradas. E enquanto ele ficava lá sentando eu chegava por trás pra cutucar suas costas e me esconder atrás da porta. E ele, gentilmente, fingia me procurar. Depois me colocava em sua perna e ficávamos conversando.

Lembro que em um desses finais de semana, enquanto olhávamos o jardim aqui de casa, vi uma cobra rastejando entre uma das plantas que tinha na frente da varanda, era uma Corredeira (essas verdinhas, finas, e não muito grandes). Eu apertei a mão dele e ele disse "não precisa ter medo, ela é boazinha". Acho que foi a única vez que me senti segura perto de uma serpente... E a única vez que consegui ficar olhando fixamente sem chorar...

Lembro que ele sempre me dizia que não chegaria ao ano 2000.

Lembro dele cuidando da horta, e como eu fingia que ajudava porque queria ficar brincando com as ferramentas que achava bonitinhas por serem em miniatura.

E lembro principalmente, qual foi meu sentimento após segurar sua mão caída... Talvez só meu irmão entenda o que eu quero dizer... Mas eu me senti bem, me senti bem porque sabia que não o estava deixando sozinho, em um momento em que ninguém gosta de estar só! Eu poderia levar isso como uma lembrança ruim, mas poder senti-lo em seu último suspiro me confortou. E nesse momento eu pensei "ele não vai sofrer mais!"

domingo, 3 de agosto de 2008

Music... The Sound of The Music



Eu adoro o fato de que algumas músicas foram escritas "para mim"! Não necessariamente sobre como eu sou, mas principalmente como eu me sinto... Umas das bandas que mais me impressionam é o The mamas and The Papas, eu sou declaradamente beatlemaniaca, mas não posso mentir e dizer que apenas as músicas deles me "tocam" lógico que com um acervo tão grande tem muitas produções que me descrevem exatamente e até mesmo meus sentimentos. MAS The Mamas and The Papas mesmo com menos músicas escritas, conseguiram acertar em cheio o meu "eu". Posso dizer com certeza que eles tem uma música para cada estado de espírito meu... Que por sinal são vários e mutáveis ao longo do dia. Deixando bem claro aqui, que meu estado de espírito é mutável, não meus sentimentos!hehe Por sinal, não sei se já falei isso aqui mas minhas atitudes são simplesmente proporcionais aos meus sentimentos dessa forma se eu agir "mal" com uma pessoa saiba que ou ela me machucou ou apenas não gosto dela. Porém se eu agir "bem" quer dizer que eu gosto muito dessa pessoa.

Voltando ao The Mamas and The Papas... Esses dias voltando do trabalho, enquanto tentava não ouvir o barulho alheio e com a cabeça a 1.763km de distância, eu estava escutando meu mp3 velho de guerra e começou a tocar "You baby"(The Mamas and The Papas) se eu já estava "sonhando" imaginem quando tocou "Leaving On A Jet Plane "(The Mamas and The Papas), eu poderia passar o dia todo aqui, descrevendo e explicando a maneira como essas música encaixam-se em minha vida mas por enquanto vou me deter ao fato de como elas me fazem sentir BEM! Não sei vocês, mas para mim é simplesmente esplêndido escutar com melodia meus sentimentos. Acho que é por isso que gosto tanto de musicais porque tudo tem um fundo musical, tudo transforma-se em música, até a tristeza (que eu sinceramente, também prefiro cantada). Quando estou muito feliz (o que esta sendo bem fácil ultimamente, apesar de tudo...) minha vontade era dar uma de Gene Kelly "I'm dancin' and singin' in the rain" o único problema de fazer isso é que eu poderia acabar quebrando uma das pernas, tentando imitar os passinhos, porque sem imitar os passos não teria a menos graça!!! E acreditem quando eu digo que eu poderia acabar me machucando... É... a um tempo atrás eu tentei e NÃO foi legal e se alguém tava me vendo deve ter sido uma cena HORRÍVEL! Mas pelo menos eu tentei né?hehe

Mas é sério, músicas definitivamente regem a minha vida e gosto quando elas me "acertam"! E só pra ser BEM do contra a música que vai ilustrar esse post. não é do The Mamas and The Papas!hehehehe Mas deixo aqui a dica, escutem Mamas and Papas as letras são lindas, a harmonia é maravilhosa, as vozes são perfeitas e em total sincronia!

Eis que no meio da produção do meu post eu tenho uma surpresa...

Puts... se eu disser que já tinha ouvido falar na Katherine Jenkins estou mentindo, eu estava no youtube procurando um vídeo em que a Sarah Brightman (que eu adoro) estivesse cantando Music Of The Nigth e eis que aparece esse da Katherine, quando olhei pra cara dela pensei " iihh la vem gente estragar a música" mas como adorooo o nome Katherine dei uma chance... e PQP... que voz é essa? Alguém imagina olhando pra cara dessa menina que sai isso ai de dentro dela? Essa é mais uma lição que sempre tento aprender... mas vira e mexe eu comento o "pecado" de julgar antes de conhecer. Tive que me render a essa voz e a essa interpretação e deixar a Sarah um pouquinho de lado...
Então com vocês Katherine Jenkins!




The Music of the Night
Fantasma da Ópera

(Composição: Andrew Lloyd Webber / Charles Hart)

Nighttime sharpens, heightens each sensation
Darkness wakes and stirs imagination
Silently the senses abandon their defenses
Helpless to resist the notes i write
For I composed the music of the night

Slowly, gently, night unfurls its splendour
Grasp it, sense it, tremulous and tender
Hearing is believing
Music is deceiving
Hard as lightning, soft as candle light
Dare you trust the music of the night..
Close your eyes for your eyes will only tell the truth
And the truth isn't what you want to see
In the dark it is easy to pretend..
That the truth is what it aught to be...

Softly, deftly, music shall caress you
Hear it, feel it, secretly possess you
Open up your mind, let your fantasies unwind
In this darkness which you know you cannot fight
The darkness of the music of the night

Close your eyes start a journey through a strange, new world
Leave all thoughts of the world you knew before
Close your eyes and let music set you free
Only there can you now belong to me

Floating, falling, sweet intoxication
Touch me, trust me, savour each sensation
Let the dream begin, let your darker side give in
To the power of the music that I write
The power of the music of the night

You alone can make my song take flight
Help me make the music of the night

P.s: Alguém por favor me ensina a expandir a área de postagem... Porque tá horrivel!

sexta-feira, 18 de julho de 2008

O Sol vai voltar a Brilhar!

“we had joy we had fun we had
seasons in the sun”

(Terry Jacks – Seasons in The Sun)

Quando somos pegos de surpresa, é que percebemos como podemos ser frágeis. E quando vemos com clareza, que as coisas acontecem em frações de segundos, e a alegria se transforma em saudade. Em uma saudade eterna, uma melancolia sólida, intrínseca ao ser humano.

O choro fica preso, e mesmo sem total conhecimento a maior vontade é de correr gritando como a vida pode ser injusta! Como um caminho em branco, prontinho para receber o engatinhar de um adulto pode se desfazer como tinta na água? Ah vida! Porque você faz isso com seus telespectadores?

Me lembrei hoje de como senti o coração doer ao receber a notícia de um amigo. E por isso sou solidária. Porque momentos iguais já passei, lagrimas distintas já chorei e cantei. Cantei para tentar esqueceu que vivemos, para ficar mais próxima de quem sinto falta. Cantei para dedicar a um amigo, a um amor, para dedicar a quem precisa de música.

Apaguem as velas, andaremos juntos e de mãos dadas até onde precisarem, e quando não precisarem mais continuaremos aqui! Com o mesmo sentimento do primeiro dia. E quando vocês forem para a cama a noite, pensem no retrato em cima da estante sorrindo. Imaginem gigantes campos de margaridas e tentem, assim, dormir.


- Por não saber o que falar resolvi escrever.

P.s: Novamente posto este texto, porque mais uma vez estou sem ter o que dizer. Novamente precisam de minha ajuda e não tenho como me fazer presente fisicamente... Espero que ao menos minhas palavras o alcancem.

Força!

terça-feira, 15 de julho de 2008

"Stars Shining Bright Above You"



Por favor alguém me explica
o que esta acontecendo.

Eu preciso saber,
preciso saber porque você não me sai da cabeça.

Porque ronda meus sonhos.
Me deixando inquieta, encantada, alucinada...

"Help, I need somebody,
Help, not just anybody,
Help, you know I need someone, help!"(Help - The Beatles)

Queria explicações mas
sei que elas só me traram mais confusão

Então deixa assim
Até que eu consiga me definir.

Me entender!

"Life is very short
and there's no time
for fussing and fighting,my friend" (We can Work it out - The Beatles)

Eu quero teu sorriso
Teus olhos
Tua boca, teu cabelo...

Quero sentir você perto
Mesmo que estejas longe
Mesmo que não pense em mim
Eu quero você aqui!

"Say nighty-night and kiss me;
Just hold me tight and tell me you'll miss me.
While I'm alone, blue as can be,
Dream a little dream of me." (Dream a little dream of me - The mamas and Papas)

"Sweet Dreams are made of this..." (Sweet Dreams - Marilyn Manson)

Queria apenas um sinal
Uma demonstração
De que não estou seguindo o caminho errado.

Ter certeza que posso pensar em você a noite
Porque você estará pensando em mim.
E assim teremos uma ligação.

"You're just too good to be true
Can't take my eyes off of you
You'd be like heaven to touch
I wanna hold you so much " (Can´t take my eyes off you - Elis Regina)

Retratos espalhados no chão do quarto!


Carol Sá
10/07/08

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Fuscãono





Por quanto tempo ainda andarei
sem saber o Caminho?

Acredito que seja algo claro, mas
as luzes se apagam quando estamos vendadOs.

Tento aceitar que pedras nas
estrada é Normal.

Mas não quero e nem vou ter paciência,
o Futuro continua tirando minha lucidez.

Unhas cravadas em meu peito,
esmagando o que ainda esta vivo!

De uma coisa tenho certeza,
não quero a SolidÃO.


Carol Sá
30/06/2008
11:30
Teresina - PI


quarta-feira, 25 de junho de 2008

CONFUSÃO

Inglês = Confusion, mess
Alemão = Durcheinander
Árabe = فوضى
Dinamarquês = rod
Espanhol = desorden
Finlandês = sotku
Francês = désordre
Grego = αχούρι
Holandês = puinhoop
Italiano = confusione
Polonês = bałagan
Romeno = dezordine
Russo = неразбериха
Sueco = röra
Tcheco = zmatek


Lucidez, loucura, luxúria, luz, mãos, olhos, bocas, pernas!
Amor, desejo, paixão, confiança, cheiros, pele, carne, costas!
Reflexo, espasmos, segundos, imaginação, medo, sonhos, CONFUSÃO!


Carol Sá
25/06/08

quinta-feira, 12 de junho de 2008

QUE...




Todos acham que sou violenta
Que sou fria
Que não me emociono ao ver flores
Que filmes não me fazem chorar

Que enfrento solidão com facilidade
Que qualquer problema são pequenos obstáculos
Que sou forte

E então penso em responder
"Que seria tão bom ser assim"
O que posso fazer se minhas lágrimas não saem fácil?
Será que já pensaram que pode ser por já ter feito muito isso antes e perceber que nada adianta?
Será que ser vulnerável é mais fácil?

Aprendi que Não!
Que só faz tudo se tornar mais intenso.
E intensidade, machuca, magoa
Tenho ideais e ideologias retrógradas

Será que posso ser julgada por esconder o que sinto?
Se todas as vezes que não escondi, perdi!
Eu não gosto de perder
Perco se sinto e demonstro e perco se sinto e escondo!

Então deixa assim...

Carol Sá
12/06/08



Você (Chicas)

Você desfoca, sai do tom
Se perde e não vê
Que a confusão começa dentro de você
Disfarça, acha graça, desmonta e sorri
Não aguenta o peso
dessa máscara que esconde...

Você!... Carrega o mundo e não vê que ser...
Feliz é viver o presente e deixar fluir...
O que sente e não se importar
Com que os outros pensam que você é...
Quem é você?

Você que é tão sensata,tão cheia de si
Sempre fazendo festa e se sentindo tão só
Você que sempre agrada e sem perceber
Insiste em seguir um caminho
Que não é...

Você!... Carrega o mundo e não vê que ser...

Sai do quarto... Passa da porta e vai...
Deixa o mundo ver...
Sai do quarto passa da porta e vai
Quem sabe você?

Entrega pro mundo e vê, que ser...
Feliz é viver o presente e deixar fluir...
O que sente e não se importar...
Com que os outros pensam
Que você é...
Quem é você...
Deixa o mundo ver...

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Brilho eterno de uma mente com muitas lembranças.


Autumn in Bavaria - Kandisnky

"Eu perco o chão, eu não acho as palavras..."
(Adriana Calcanhoto - Metade)

Tento procurar um passado.
Fazê-lo presente.
Mas não encontro vestígios
Mesmo procurando minuciosamente
Como se o nosso jornal fosse recortado.
Mas porque cortaram?
Cortaram para colocar em um lugar especial
No coração e na memória.
A última principalmente, porque não tem como apagar.
Não é preciso fotos e nem despedidas.
Apenas lembrar...
E tentar que essa lembrança seja feliz
Seja com um sorriso e com música
Alegres bacantes fazendo o seu cortejo
Bebendo vinho e dançando.
E que venham os anos.
Não importa quantos passem, minha lembrança ainda brilha.

C.S.E
02/06/08

domingo, 25 de maio de 2008

Think of Me

"Think of me,
think of me waking silent and resigned
Imagine me,
trying too hard to put you from my mind."
(Phantom of The Opera - Think of Me)


Pense em mim,
Quando estiver triste.
Quando o sol aparecer entre as nuvens,
E os pássaros cantarem.
Se tiver que dizer adeus,
Não chore.
Sei que nos veremos,
Em breve.
E se isso não acontecer,
Pare quando estiver na frente de um jardim e,
Pense em mim.
Quando o silêncio estiver perturbador,
Apenas cante uma música e estarei,
Ao seu lado.
E mesmo que você não se lembre mais de mim,
Eu me lembrarei de você.
Todos os nossos sorrisos e motivos serão,
Secretos e claros como poeira num feixe de luz.
Se você fala de amor como eu,
Sabe que o tempo não passa.
O nosso parou!
Há muito tempo.


Carol Sá

23/05/08

quinta-feira, 24 de abril de 2008

"Contando casos besteiras"


"Don't let me down" (The Beatles)

Eu quero poder te beijar

Te desejar boa noite e sonhar

Imaginar seu toque no dia seguinte

Sorrir apenas por ver a lua nascendo

Os pássaros cantando e brincar
De mãos dadas e rodar
Girar meu mundo como criança
E nunca chorar!
Eu vejo e eu sei que não é simples assim
Eu li hoje que a simplicidade trás felicidade

E nunca antes havia concordado tanto com um pensamento
E ai vem a pergunta, o que falta?
E então chorei!
Porque assim pensei que o amor escorreria pelos meus olhos

O único resultado foi uma cama molhada
E um poema mal escrito.


Carol Sá
24/04/08
2:50 am

sexta-feira, 11 de abril de 2008

A.



"A gente rir a gente chora, e comemora um novo amor"
(Maria Rita - Novo Amor)

Dizem que esquecemos um amor, quando encontramos outro, Acho que esquecer não é em a palavra. Se encaixaria melhor "superar". Superamos aquele velho amor.
E descobri esse ano que isso também acontece com as amizade - Quando temos uma grande decepção e somos forçados a "perder" um amigo e esquecer sua existência - Porque diferente dos amores reatar uma amizade é muito mais difícil.
Já "perdi" alguns amigos e fico sempre pensando se seria minha culpa. Afinal de contas, quando uma coisa se torna recorrente eu penso que a culpa pode ser minha.
Mas ai, eis que surgem novos amigos. Pessoas maravilhosas que deram mais luz a minha vida. Que me fizeram perceber que mesmo distantes, mesmo com pensamentos diferente eu sou capaz de preservar amigos!
Então fiquei menos triste! Porque se pessoas tão maravilhosas gostam de mim, eu não posso ser uma pessoa tão terrivel. Vai ver só um pouquinho! :)

p.s: Este testinho é dedicado a Téfa, Teddy, Gabriel Cotrim e Jéssica! Brigado gente por ter entrado na minha vida.
p.s2: Aos outros amigos, vcs tamém se fazem muitissimo importantes. E já são "véis de guerra".

segunda-feira, 31 de março de 2008

Provocation

A obscura sensação dos seus beijos deixa-me leve. Estremeço a cada toque. Seus dedos a percorrer meu pescoço, minhas costas. Suas mãos aquecem meu corpo. Sua boca molhada próxima aos meus lábios. Isso simplesmente me enlouquece. Sua respiração ofegante, tentando a todo custo me satisfazer. Tiro seu cabelo do rosto para ver teu sorriso, teu êxtase. Tua boca sobe e alcança meus seios. Sua calma e delicadeza realmente me impressionam. Meu corpo já não suporta mais. Tento me conter para não perder nem um minuto do espetáculo. Mas esta ficando impossível. Cada pequena parte do meu corpo parece estar em suas mãos, nenhum pedaço sente-se solitário. Meus olhos começam a fechar involuntariamente. Os músculos das minhas pernas enrijecem. E dos meus lábios surge um grito.

Minha respiração começa a diminuir, acompanhando a sua. Nem que eu tentasse seria impossível não sorrir. Sua língua umedece minha boca e então deita-se ao meu lado. Fica a tocar meus cabelos por alguns instantes. E eu só consigo olhar para o teto, exalando felicidade.

Ao acordar, vejo tua mão entrelaçada na minha.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Noite + café = Noifé



Ela escuta a chaleira, chiar. Segura sua chicará de café entre as duas mãos, e vai para a varanda.
Já são 1:30, isso esta se tornando um ritual. E ela não sabe se vai conseguir parar...
Sentada na escada, olha para o céu.
E nesse momento as estrelas falam com ela. Cada uma ofusca seus castanhos olhos, em uma forma de código.
E tudo parece tão claro. Nesse exato momento.
O gato de sempre aparece, para dar-lhe boa noite.
E ela retribui com um simples piscar.
Tudo esta tão frio, tão intenso, conseguiria ficar ali a noite toda. Mas não pode!
Ela retorna para cama, suas mãos estão frias. Tocam-lhe o rosto.
E adormece.
Ela esta sozinha esta noite!

sábado, 9 de fevereiro de 2008


"I've heard there was a secret chord
That David played and it pleased the Lord
But you don't really care for music, do you?
It goes like this...the fourth, the fifth
The minor fall
The major lift
The baffled King composing Hallelujah"
(Rufus Wainwright)

"Cansei de ser idiota, de demonstrar carinho por quem não merece.
Meu nome do meio deveria ser estupidez!
Por insistir em causa perdida, em pessoas quase desaparecidas.
As vezes esqueço como é fácil me machucar.
E piso no mesmo degrau em falso
E caio de novo
Quem sabe se me lembrasse por um segundo como é difícil levantar, eu tivesse mais cuidado
Mas nem sempre consegue-se ser, apenas razão
A racionalidade me foge tantas vezes, que chego a ter raiva dela.
E nessas horas a unica coisa que me lembro, é o quanto me avisaram
Que não valia a pena
Eu cheguei a acreditar, realmente.
Mas a estupidez, sempre me vence."

Autor Desconhecido


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Família.

"Família! Família!
Papai, mamãe, titia
Família! Família!
Almoça junto todo dia
Nunca perde essa mania... "
(Titãs - Família)
Um dia tomei uma decisão, ela foi difícil porém necessária.
Não conseguiria explicar as razões e o motivos, nem que tentasses escrever ou falar.
Optei por escrever por não ter como falar.
Queria ser sincera, queria ser fria e consegui.
Queria que nada tivesse acontecido, e que não fosse "obrigada" a fazer isso.
Mas tem horas que não se pode sempre ser o "muro de Berlim" e tem-se que cair para algum lado.
E eu escolhi o que acho mais correto.
Fui chamada então de sem caráter e sem personalidade
De cabeça envenenada, vazia, previsível e influenciável.
E isso porque tive a preocupação, apesar de tudo, de dar uma satisfação.
De não ser ingrata e simplesmente sumir.
Como se nunca tivesse visto na vida.
Será que errei?
Não, acho que não.
Porque dessa forma, eu tive mais certeza da minha decisão.
Até então tinha dúvidas.
Mas tentaram me fazer ficar contra as pessoas que mais amo.
E que provavelmente negligenciei.
Perdão, se seus sentimentos quanto a família não são iguais aos meus.
É por isso que dizem, que as pessoas são diferentes.
Em geral tento aceitar essas desigualdades.
E ser racional!
Você pode achar que minha mente é vazia, e quem sabe seja.
Mas meu coração não é!
C.S.E

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Dica do dia! :)


"Forget your troubles and just, get happy
You better chase all your cares away.
Sing hallelujah come on, get happy"
(Irene Cara)

Estava hoje recordando, uma das primeiras vezes em que escrevi um texto feliz!
Antigamente eu não consegui escrever nada que saísse da linha "Alvarez de Azevedo" de ser...
Mas um dia, após começar a namorar meu primeiro namorado ele reclamou o fato de que todos os meus textos o deixavam triste, e ele não conseguia entender como eu poderia, estar feliz e escrever de forma tão mórbida. Nesse dia cheguei em casa e ao entrar pela porta me veio uma frase a cabeça, algo sobre o céu, não me lembro ao certo. Então eu sentei no computador e escrevi meu primeiro texto feliz e dedicado a alguém em especial. Geralmente escrevia sem um destinatário específico. Não lembro muito bem como era esse poema, e nem tenho mais a copia do mesmo. Deve ter se perdido nas minhas coisas ou nas dele! No dia seguinte entreguei a ele e disse "eu estou feliz com você" ele leu o poema e disse que estava lindo, não sei se por educação ou por realmente ter gostado! O fato de ter dito "eu estou feliz com você" para mim foi a melhor e mais bonita forma que eu pude um dia dizer a ele o quanto gostava dele. Muito mais significativo (na minha opinião) que um "te amo", que algumas vezes disse a ele e que em certos momentos, admito aqui, não eram tão profundos sentimentalmente falando.
Foi isso que estava pensando quando comecei a escrever, que muitas vezes algumas frases que podem não significar muita coisa no momento em que são ditas, na verdade são muito mais poderosas que um "eu te amo".
Por isso deixo aqui uma dica, mesmo sem vocês terem pedido, tentem prestar atenção nas menores coisas, nos simples detalhes e em frases "banais" são nessas coisas que vocês perceberam realmente como são amados por seus amigos, namorados, pais... Eu tenho tentado fazer isso ultimamente, e tem sido bem recompensador! Às vezes um simples apelido, pode mostrar muito mais o carinho de uma pessoa do que qualquer outra palavra.
Portanto be happy, ever! Se vocês realmente quiserem, conseguem motivos pra serem felizes e sorridentes todos os dias. Mesmo que seja por apenas 5 segundos de um dia estressante, isso pode lhe trazer um bom sono a noite, ou não (momento Caetano de ser). Mas não custa nada tentar não é verdade.

Carol Sá


quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Apontamentos sobre a morte

"Dear Prudence let me see you smile.
Dear Prudence like a little child.
The clouds will be a daisy chain.
So let me see you smile again.
Dear Prudence won’t you let me see you smile?"
( Beatles - Dear Prudence)



Estive sempre a pensar, se de alguma forma as pessoas sabem que vão morrer.e ainda se elas tem a oportunidade de se despedir, mesmo que inconcientemente do mundo, e se por consequencia disso tem-se um último dia, feliz ou ao menos tranquilo.
Eu comecei a pensar isso a uns 11 anos atrás, quando meu avô faleceu. Eu me lembro como se tivesse acontecido ontem, ele sentando na mesa para almoçar e dizendo que tinha tido uma noite boa, que tinha durmido bem como a muito tempo ele não dormia. Lembro-me que isso me deixou muito feliz, e que imaginei que ele pudesse estar melhorando, na minha cabeça de criança dormir bem significava algo parecido com saúde. Poucos minutos depois meu avô despidiu-se de nós! O que me fazia parar de chorar todas as noites quando ia dormir no quarto dele e sentava em sua cadeira, era lembrar que ele tinha tido uma última boa noite, não sei porque mas isso me reconfortava bastante.
Terminei hoje de ler o livro O Diário de Anne Frank, ela para de escrever no dia 1 de agosto de 1944, quando a Inglaterra já tinha tomado grande parte do territorio que era antes de poder nazista. Desde junho (1944) eles haviam ouvido várias notícias no rádio, que os deixaram bem alegres e confiantes de que provavelmente em Agosto estariam livre do "mergulho", é interessante observar que as duas últimas vezes que a Anne escreveu, ela parecia totalmente confiante da futura liberdade e a forma como falava dela de seus pais, e de seus companheiros de isolamento era como uma despedida, como uma auto-crítica final. Quase uma carta de adeus, por mais que em todo momento percebe-se a sua esperança de liberdade. E o mais interessante é como ela assina... Em todos os outros dias ela assinava como "Tua Anne" em 1 de agosto, última vez que escreveu para Kitty, (forma como chamava seu diário) ela assina como "Tua Anne M. Frank".
Então me veio novamente a cabeça aquilo que tinha pensado 11 anos atrás, não sei se todos tem essa oportunidade, mas com certeza alguns tem a chance de se despedir (mesmo que inconscientemente) e de ter um último dia feliz!


Carol Sá
31/01/08

terça-feira, 29 de janeiro de 2008


MASQUERADE




"Masquerade!Paper faces on parade ...
Masquerade!Hide your face,
so the world will never find you!”
(The Phantom of the Opera)


O carnaval passei sem fantasia.
Mas com a cara (ou seria a voz?) enfeitada.
Com o esboço de uma gargalhada.
E com reais risadas.
Uma saudadezinha, pra não desandar o tempero.
Tempo propicio para pensar.
Pensar! As vezes me canso disso.
Porque acabo me sentindo um Holden Frank*
Achando tudo chato e que sempre o "crime" recai em mim.
E ai vejo que é drama.
O mais puro drama!
Então que se dane...
Quero é ser feliz.
Por favor, tragam minha máscara!

Carol Sá
25/01/08

*Seria a fusão do personagem Holden C. (O Apanhador no Campo de Centeio) com a Anne Frank (O Diário de Anne Frank).


quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Uma Suposta Carta



"Big kisses on your cheeks,girl, I hope everything goes fine to you there. Don´t drink, don´t smoke... don´t run away."


“Estava hoje relendo nossos recados, e não imagina a saudade que me deu. Tentei imaginar seu sorriso, mas não consegui! E isso me doeu muito, doeu porque eu não estava preparada para esquecer, na verdade eu acredito que nunca esquecerei. É tão fácil negar um amor, é tão fácil dizer que ele nunca aconteceu e para muitos é melhor que continue assim, sem acontecer. Mas sinceramente, eu cheguei a um ponto em que percebi que você é quem eu sempre posso contar quando me desiludo com os amores seguintes. Porque sempre foi platônico, e dessa forma nunca nos demos a oportunidade de nos decepcionar. As vezes eu penso que é melhor assim, dessa forma eu sempre te tenho quando preciso de um Forte.
A história das nossas vidas assemelhasse aos 7 anos de fome e de fartura do Egito, passamos as vezes meses nos falando quase todos os dias, de maneiras diversas. Contudo quando menos esperamos (ou quando Eu menos espero) falamos apenas esporadicamente, sem muitas perguntas e nem muitas respostas. Antigamente eu ficava preocupada, mesmo sabendo que de certa forma a “culpa” dessa distância também era minha, tinha receio que perdêssemos o contato mas um dia eu me dei conta de que isso nunca vai acontecer. Porque mesmo ficando 6 meses sem nos falarmos ou nos vermos, quando um dos dois acontecem a simpatia, o carinho e afeição continuam iguaizinhos aqueles poucos dias na praia em que minha única preocupação era não perder o ônibus para a escola.”

p.s: Espero que vocês considerem a licença poética de usar um Eu Lírico :D

Carolina Sá

domingo, 13 de janeiro de 2008

Partida




"Silencio... silencio... silencio... no hay banda. No hay orquestra. Silencio... silencio... silencio... silencio..."
(Mulholland Drive - Rita)

"Algumas vezes temos medo e não sabemos bem do quê. Já sentiste isso?" (Bonequinha de Luxo - Audrey)

Domingo


Ta sendo tão difícil
Tão difícil como nunca pareceu ser
Não conseguiria dar apenas uma razão
São vários fatores que colidem e deixam tudo
Tão difícil

Pessoas que não quero deixar
Novas pessoas, que não queria me afastar
Seres que me fazem tão bem
E partir me faz tão mal
contradições ridículas

Não tenho grandes janelas para ver o sol nascer
Nem grandes parques verdes para andar de mãos dadas
Tudo sempre me parece tão seco, mesmo quando chove
E isso torna tudo tão difícil

Queria ser imune a tais sentimentos
Como não sou
A única solução é dar: "Até Logo"
Para não me perder nas palavras

So Long, Farewell

There's a sad sort of clanging from the clock in the hall
And the bells in the steeple too
And up in the nursery an absurd little bird
Is popping out to say "cuckoo"
[Marta, Gretl, Brigitta:]
Cuckoo, cuckoo

Regretfully they tell us Cuckoo, cuckoo
But firmly they compel us Cuckoo, cuckoo
To say goodbye . . .
Cuckoo!
. . . to you

So long, farewell, auf Wiedersehen, good night
I hate to go and leave this pretty sight

So long, farewell, auf Wiedersehen, adieu
Adieu, adieu, to yieu and yieu and yieu

So long, farewell, au revoir, auf wiedersehen
I'd like to stay and taste my first champagne

So long, farewell, auf Wiedersehen, goodbye
I leave and heave a sigh and say goodbye -- Goodbye!
I'm glad to go, I cannot tell a lie
I flit, I float, I fleetly flee, I fly
The sun has gone to bed and so must I

So long, farewell, auf Wiedersehen, goodbye
Goodbye, goodbye, goodbye


Selo TLW BLOG BRASIL
Selo LuHBrasil